ÚLTIMAS NOTÍCIAS / "Colônia da China’

‘Brasil está virando colônia da China’

Quinta-feira, 28 de abril de 2011


O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Luiz Aubert Neto, disse ontem, durante entrevista coletiva para apresentação dos números do setor em março, que "o Brasil está virando uma colônia da China". Ele fez o comentário ao analisar a divisão da balança comercial da indústria de bens de capital por destinos de exportações e importações.

O principal destino das máquinas brasileiras foram os Estados Unidos, que no primeiro trimestre compraram o equivalente a US$ 411,44 milhões, crescimento de 47,12% sobre os US$ 279,67 milhões apurados em igual período do ano passado. Seguem os Estados Unidos, pela ordem, Argentina, Holanda, México e Alemanha.

No que se refere às importações, os EUA também foram o país de quem o Brasil mais comprou máquinas. O crescimento das importações foi de 30,05% no primeiro trimestre de 2011 em relação ao mesmo período do ano passado - elas passaram de US$ 1,295 bilhão para US$ 1,684 bilhão.

Mas a China ficou em segundo lugar, com US$ 965,92 milhões, valor que representou crescimento 53,51% sobre os US$ 629,23 milhões dos três primeiros meses do ano passado.

Para Aubert Neto, isso é fruto da política de juros e câmbio praticada pelo governo federal. "Não é a indústria que não tem competitividade, é o Brasil", disse, acrescentando que um setor que consegue exportar para países de Primeiro Mundo não pode ser considerado pouco competitivo. Ele defendeu a redução da taxa de juros como forma de resolver os problemas enfrentados pela economia brasileira.

Segundo Aubert Neto, com exceção da Noruega, não existe país exportador de commodities rico. "Fale-me um, tirando a Noruega, que é um país exportador de petróleo", desafiou.

Ele acrescentou que, de outro lado, fica difícil apontar um país exportador de máquinas e equipamentos que seja pobre. "Enquanto tivermos esse câmbio sobrevalorizado, ficará difícil competir com a China", acrescentou.
Nuci x emprego

O presidente da Abimaq também atribuiu a queda do Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) do setor de máquinas e equipamentos à valorização do real. Ele fez um contraponto entre a queda do Nuci e o crescimento do número de empregados do setor.

O Nuci do setor fechou em 80,5% em março, ante 82,3% no mesmo mês do ano passado. O número de empregados, por sua vez, cresceu 0,4% em março comparativamente a fevereiro, para 256.402 trabalhadores.

"Estamos contratando gente não mais para produzir, mas para montar máquinas importadas da China", disse Aubert Neto, salientando que a indústria nacional não precisa mais nem traduzir os manuais que acompanham as máquinas chinesas, pois eles já vêm em português.

 
Câmbio
R$ 1,57 foi a cotação do dólar ontem, com alta de 0,38% em relação à terça-feira

Fonte: O diário Maringá

 Outras Notícias

HORÁRIO DE ATENDIMENTO: De Segunda à Sexta das 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h

Av. Tancredo de Almeida Neves, 442
CEP 87430-000

Última Atualização do site:  25/05/2018 15:10:22